Moradores fazem protesto após morte em estupro coletivo em Santo Antônio do Amparo

Centenas de moradores de Santo Antônio do Amparo, foram às ruas em protesto pela violência na cidade. Eles pediram por mais segurança após a morte de Rosali das Graças Santos, que foi vítima de um estupro coletivo e morta no dia 29 de julho. Quatro homens foram presos e segundo a polícia, confessaram o crime.

Os manifestantes se reuniram em frente ao local em que Rosali das Graças Santos, de 31 anos, foi assassinada. Ela voltava para casa de uma festa quando foi abordada em uma rua. A jovem foi vítima de estupro coletivo e cruelmente assassinada, com indícios de tortura, segundo a polícia.

“Quem vai esperar uma coisa dessas? ninguém espera. Uma cidade dessas nunca aconteceu isso, tô morando aqui pra mais de 8 meses, acontece uma coisa dessas, to sem chão, não tenho nem palavra pra falar, minha filha, tudo pra criar aí agora, sonho destruído”, disse o marido de Rosali, Ernane Coelho.

Moradores fazem protesto após morte em estupro coletivo em Santo Antônio do Amparo (Foto: Reprodução EPTV)
Moradores fazem protesto após morte em estupro coletivo em Santo Antônio do Amparo (Foto: Reprodução EPTV)

A mãe de Rosali participou da manifestação e recebeu o carinho e apoio de toda a cidade. “Foi uma brutalidade, a gente não tem expressão, não tem como expressar minha dor, meu sentimento de mãe, foi um pedaço de mim que saiu”, disse a mãe de Rosali, Abgail das Graças Santos.

Os moradores fizeram uma oração pedindo paz e o fim da violência. Depois eles seguiram em passeata pelas ruas da cidade. Os manifestantes receberam o apoio também de quem acompanhava o protesto de longe. A caminhada seguiu até a Praça Central, onde as pessoas cantaram em homenagem a Rosali.

Apesar da dor e da brutalidade, ninguém quer que o crime seja esquecido. Muitos cartazes pediam respeito e o direito de ir e vir das mulheres.

“Hoje em dia a gente vive assustada, a gente sai na rua a gente fica com medo de sair na rua, a gente não sabe mais o que fazer, a gente não sabe se a gente tem proteção ou não, até mesmo dentro de casa a gente fica com medo”, disse a dona de casa Viviane das Graças Messias.

Mulher de 31 anos foi morta após saída de show em Santo Antônio do Amparo (Foto: Reprodução EPTV)
Mulher de 31 anos foi morta após saída de show em Santo Antônio do Amparo (Foto: Reprodução EPTV)

A manifestação lembrou que o assassinato de Rosali é um crime contra a mulher. Por isso, elas cobram ações do município e da polícia para dar mais segurança e evitar que fatos como esse se repitam na cidade. Cerca de mil assinaturas estão sendo colhidas para exigir melhorias na iluminação e capina dos bairros, além de outras melhorias.

“Pra reivindicar mais segurança, mais policiamento nos bairros. No Centro a gente vê muita polícia, mas nos bairros a gente não encontra policiais. O que a gente pede pros outros bairros também, pela segurança, iluminação, porque tem muita falta de postes, de iluminação em alguns bairros da nossa cidade”, disse a dona de casa Mariana Borges Tomás.

“Fora monstros que fizeram isso na vida dela e eu sou uma Rosali e todas as pessoas que estão aqui são Rosalis, por isso que eu convoquei todas as Rosalis de Santo Antônio do Amparo para estar presente aqui hoje. Porque ontem foi ela, amanhã pode ser eu, o meu filho, a minha filha, a minha neta, a gente não sabe”, disse a dona de casa Ana Maura Faria de Paula.

Fonte: G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *