Jovens que voltavam da rave E-TRIP para Varginha estavam entre os reféns durante ataque em Pouso Alegre

É o segundo caso registrado com jovens que estavam na rave em Itirapina-SP; este é o segundo ataque com reféns na região em menos de uma semana

Madrugada de terror em Pouso Alegre e mais um drama aos frequentadores de rave, e que estavam na E-TRIP em Itirapina-SP. Após o acidente que matou três jovens da região, que também iam para a festa em São Paulo, por volta da 1h30 desta segunda-feira (20), um grupo de 15 a 20 criminosos fortemente armados chegaram em cinco veículos e detonaram explosivos e atiraram contra uma agência da Caixa Econômica Federal em Pouso Alegre..

Ainda de acordo com a polícia, houve troca de tiros com os bandidos. Marcas de bala de grosso calibre foram encontrados nos vidros da agência bancária.

Reféns

Segundo informações da Polícia Militar, os criminosos pararam dois ônibus que passavam em uma das principais avenidas da cidade, na área central, e renderam cerca de 20 pessoas, algumas delas voltavam na rave que havia acontecido em Itirapina-SP, a E-TRIP. O grupo manteve os 20 como reféns em uma rotatória que fica a 100 metros da agência que estava sendo atacada.

Uma das vítimas que também foi feita refém pelos bandidos, que não quis se identificar, conversou com o CSul e disse que o ônibus já havia passado por Ouro Fino, Borda da Mata e outras cidades da região deixando algumas das 47 pessoas que haviam ido no veículo para a rave em São Paulo, antes de ser parado em Pouso Alegre pelos criminosos.

“Eu estava vindo para cá (Varginha), quando lá em Pouso Alegre o motorista falou ‘gente vamos descer que os caras estão mandando’. Nisso desce todo mundo e os cara tava com arma, aí pensei ‘nossa, paramos numa blitz, vai levar alguém pra cadeia’. Aí quando eu desci, já vi que não era viatura, e a hora me dei conta os caras estavam fazendo nós de refém, estavam assaltando um banco lá em Pouso Alegre”, conta ele.

Ainda de acordo com a vítima, os criminosos pediram para que eles ficassem no chão molhado enquanto a ação acontecia. “Ele pediu pros homens arrancarem a camiseta, arrancar a blusa, ficar deitado, ficar de joelho na grama lá molhado. Ai eu desci, uma menina entrou em choque do meu lado lá, começou a chorar, com a cena, ai eu fiquei com a mão nela até os cara vazar”, contou ele.

“Não quero me expor, minha cabeça está turbulenta pra mais pessoas ficarem me relembrando de lá”, disse muito abalado com o que passou na madrugada.

Outros reféns que foram rendidos eram passageiros de um ônibus intermunicipal, que também foram liberados após a ação dos bandidos e seguiram viagem sem procurarem a polícia.

Militares do Corpo de Bombeiros que atendiam um chamado na zona rural também tiveram a viatura parada por parte dos bandidos. Os militares estavam com um paciente que precisava ser levado para o hospital e os assaltantes permitiram a passagem da viatura.

Ação

Vários vídeos postados nas redes sociais mostram momentos de tensão na cidade. Em algumas imagens é possível ver as pessoas sentadas na rotatória, enquanto homens armados vestindo roupas pretas circulam pela rua. Um um dos vídeos, sons de tiros e explosões podem ser ouvidos.

Depois da ação, os reféns foram liberados pelos criminosos que fugiram do local. De acordo com os militares, ninguém ficou ferido.

Até a publicação desta reportagem ainda não se sabia se os bandidos levaram algum valor do local. Os policiais fazem uma varredura na cidade em busca dos ladrões. Todo o efetivo da Polícia Militar, o Batalhão de Operações Especiais e o helicóptero da polícia seguem nas buscas.

Reprodução Redes Sociais
Imagens postadas nas redes sociais mostram ação de criminosos em Pouso Alegre (MG) — Foto: Reprodução/Redes Sociais
Imagens postadas nas redes sociais mostram ação de criminosos em Pouso Alegre (MG) — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Ataque em Elói Mendes

Na última terça-feira (14), bandidos armados fizeram funcionários de uma agência bancária reféns, em Elói Mendes. Os criminosos chegaram ao local com o intuito de realizarem um assalto após renderem uma funcionária que mora em Paraguaçu e que estava a caminho do trabalho pela BR-491.

Três horas após o início da ação é que o bandido se entregou à polícia na cidade e liberou os reféns. A liberação só aconteceu depois que o pai do criminoso foi levado até o local e conseguiu convencer o rapaz. O suspeito, ANTÔNIO CESAR LEAL, é morador de Alfenas no bairro Pinheirinho, mais conhecido como “NINO”.

Reprodução EPTV Sul de Minas

Redação CSul – Iago Almeida / Fotos e vídeos: Reprodução/Redes Sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *