Integrantes de quadrilha presa em Poços alegam ser comerciantes

A Polícia Civil apresentou na tarde desta quinta-feira (8), em Poços de Caldas, sete dos oito integrantes de uma quadrilha especializada em ataque a bancos. Eles foram presos pela polícia depois de cometerem o roubo ao Banco do Brasil de Campestre, na última terça-feira (6). Aos policiais, os envolvidos negaram o crime e se identificaram como comerciantes.

Além da mulher de 27 anos, também faziam parte do grupo: um homem de 59 anos; dois rapazes de 28 anos; um de 27 anos, um de 26 anos e outro de 25 anos. O oitavo integrante, que ficou ferido durante a troca de tiros com a polícia, segue internado na Santa Casa de Poços de Caldas e, segundo os policiais, a idade e a identidade dele ainda não foram descobertas.

De acordo com os policiais, a prisão é resultado de uma investigação que durou quatro meses e que começou em Campos Gerais. A polícia afirmou ainda que o grupo é responsável por outras explosões a caixas eletrônicos no Sul de Minas e interior de São Paulo.

“Nós já conhecíamos como era o modos operante e a forma de agir da quadrilha e nós nos antecipamos para prendê-los como aconteceu durante a operação”, disse o delegado regional Braúlio Stivanin Junior.

A quantia de R$ 495 mil em dinheiro apreendida com a quadrilha foi confirmada pelos policiais, que afirmaram ainda que esta é a maior apreensão feita após explosões a caixas eletrônicos em agências do Banco do Brasil de todo país. Além da quantia em dinheiro também foram apreendidos três fuzis, uma espingarda calibre 12, um revólver e uma pistola, além de bananas de dinamite e rádios comunicadores. E foi a forma como os assaltantes se organizavam e com que planejavam os crimes que mais chamou a atenção dos policiais.

“Eles desempenhavam funcões dono crime, levando e buscando armas, drogas, pessoas, coletes à prova de bala”, contou o delegado Eduardo Braga Côrrea.

O oitavo integrante da quadrilha segue internado na Santa Casa de Poços. Segundo o hospital, o estado de saúde dele é grave.

Polícia apreende armas com quadrilha suspeita de assalto a banco em Campestre (Foto: Reprodução EPTV)
Polícia apreende armas com quadrilha suspeita de assalto a banco em Campestre (Foto: Reprodução EPTV)

Assalto e prisão
O assalto à agência do Banco do Brasil de Campestre foi registrado por volta das 3h de terça-feira (6). Os suspeitos quebraram a porta de vidro, explodiram caixas e levaram uma quantia em dinheiro não revelada.

Ainda conforme a PM, a força da explosão fez com que o vidro de uma loja vizinha também quebrasse. Além disso, veículos que estavam estacionados próximos ao banco também foram atingidos. Partes do banco, estilhaços e projéteis ficaram espalhados pela rua. Antes de fugir, o grupo ainda fez diversos disparos para o alto. Ninguém ficou ferido. Toda a ação durou em torno de 10 minutos.

Durante a noite, sete pessoas que estavam em um caminhão e uma mulher, que seguia de carro, foram presos. Houve troca de tiros e três pessoas, entre eles um policial, ficaram feridos. A quadrilha, seria da região de Campinas (SP).

Fonte: G1 Sul de Minas

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *