Homem é condenado a 26 anos por matar ex-namorada com 69 facadas

O homem acusado de matar a ex-namorada a facadas em 2013 foi condenado a 26 anos de prisão em regime fechado após o júri popular realizado nesta quarta-feira (26), em Caldas.  Segundo o promotor José Eduardo de Souza Lima, o júri acatou todas as denúncias feitas pela promotoria e o réu, Carlos Alberto Carvalho, deve permanecer preso em Andradas, onde já estava detido desde o dia do crime.

A funcionária de um posto de saúde Ravita da Paz Nascimento, que tinha 30 anos à época, foi esfaqueada em casa. De acordo com o promotor, a condenação do réu teve três agravantes, já que ele matou a vítima por motivo fútil, utilizou recursos que dificultaram a defesa da vítima, como entrar na casa pelos fundos e ainda a executou de forma cruel, com 69 facadas.

“Este número de facadas foi comprovado pela periciada Polícia Civil. Com isso, o corpo do júri rejeitou todas as teses da defesa e acatou todas da acusação, daí houve o agravante na pena.”, explicou o promotor.

Entenda o caso
O homem de 26 anos trabalhava como motoboy à época. Ele negou ter atacado a mulher com quem namorou durante dois anos e de quem estava separado há três meses. No entanto, a Polícia Militar recebeu denúncias de vizinhos que relataram ter presenciado uma briga entre os dois no dia do crime, ocorrido em 13 de agosto de 2013.

Ravita sofreu 69 facadas e chegou a pedir socorro na vizinha da casa onde morava sozinha. Testemunhas afirmaram na ocasião que, enquanto a vítima era socorrida, o suspeito conseguiu escapar pelos fundos da casa. Ela foi levada para a Santa Casa de Misericórdia, mas não resistiu aos ferimentos.

montageminterna2

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *