Falta de soro antiofídico provoca morte de idoso em Cambuí

Benedito Barbosa da Silva, de 81 anos, não resistiu e morreu após levar picada de cobra em Cambuí (Foto: Arquivo pessoal / Valéria de Fátima Brito)
Benedito Barbosa da Silva, de 81 anos, não resistiu
e morreu após levar picada de cobra em Cambuí
(Foto: Arquivo pessoal / Valéria de Fátima Brito)

A falta de soro antiofídico causou a morte de um idoso de 81 anos durante o fim de semana em um hospital de Cambuí. Segundo a família de Benedito Barbosa da Silva, o idoso foi picado por uma cobra no sítio em que ele morava no último sábado (18), no bairro Nunes de Cima. Levado até o hospital local, a família foi informada que não havia soro na unidade.

Para que pudesse tomar o soro, o idoso teria que ser transferido até o Hospital Samuel Libânio, em Pouso Alegre. No entanto, Benedito não aguentou e acabou falecendo por volta de 2h de domingo (19).

Segundo o secretário de Saúde de Cambuí, João Fanuchi, um ofício foi enviado para a Superintendência Regional de Saúde de Pouso Alegre solicitando algumas doses do soro antiofídico para a cidade. Segundo o secretário, desde o início do ano, este é o segundo caso do tipo no município.

Em contato com o G1, a neta de seu Benedito disse que a família quer alertar as autoridades para que outras pessoas não venham a morrer pelo mesmo motivo.

“A intenção é alertar para que outras pessoas não passem por isso, pois a dor é muito grande. Ele era um idoso, mas era um jovem idoso, nem doente ficava, de gripe nem nada”, disse a neta de Benedito, Valéria de Fátima de Brito.

Hospital das Clínicas Samuel Libânio, Pouso Alegre (Foto: Reprodução/ EPTV)
Idoso não conseguiu resistir a transferência para hospital em Pouso Alegre (Foto: Reprodução/ EPTV)

24 horas por espera em Conceição da Aparecida
No dia 13 de fevereiro, uma reportagem da EPTV Sul de Minas, afiliada da Rede Globo, mostrou que um trabalhador rural de Conceição da Aparecida (MG) precisou esperar por quase 24 horas para conseguir receber a medicação, após ser picado por uma cobra em uma plantação de café. Ele só conseguiu receber o soro ao ser transferido para o Hospital Alzira Velano, em Alfenas.

Desde 2015, várias cidades do país estão com desabestecimento do soro antiofídico. Em nota, o Ministério da Saúde confirmou que os laboratórios que produzem o soro distribuído no Sistema Único de Saúde (SUS) estão passando por readequações para atender às exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Como estratégia, pra reduzir o impacto da diminuição da produção, o ministério solicitou aos estados a alocação das doses em áreas de maior risco de acidentes.

No Sul de Minas, apenas hospitais de referência, como o Alzira Velano, em Alfenas e o Samuel Libânio, em Pouso Alegre, possuem o soro.

Fonte: G1 Sul de Minas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *