Experiência dá errado em feira e aluno tem perna queimada

Um estudante de 14 anos sofreu queimaduras graves em uma das pernas durante uma feira de ciências em uma escola estadual de Campanha. O acidente aconteceu na semana passada. O garoto havia feito uma mistura de bicarbonato de sódio, açucar e álcool, quando um acidente aconteceu e as chamas o atingiram. O garoto havia aprendido o passo a passo da experiência na internet.

“É…’tava’ na experiência da escola, de ciências. Aí quando viu o álcool pegou. ‘Tava’ o álcool ‘tava’ perto do fogo. Aí, o fogo pegou no potinho. Aí, o álcool virou. Aí, quando caiu na mesa que eu fui dar um tapa no potinho, pro potinho ir longe, caiu na minha perna”, disse o estudante.

Experimento da 'Serpente do Faraó" terminou com adolescente queimado em Campanha (Foto: Reprodução EPTV)

O adolescente sofreu queimaduras de 1º grau em uma das pernas. A família levou um susto.

“Eu vi a perna dela toda vermelha. Mas susto maior, para ser sincera, foi à tarde quando a gente foi fazer o outro curativo, porque já estava cheio de bolhas as pernas dele e ai eu falei, e agora? já estava bem pior do que eu tinha visto pela manhã”, disse a mãe do estudante, Rosana Maria dos Passos.

A experiência que o jovem levou para a escola é a “Serpente do Faraó”, que é uma espécie de fogo de artifício. Segundo o estudante, a feira de ciências começou a ser planejada em agosto. Ele contou que nenhum professor revisou o trabalho e nem avisou dos riscos. Na hora do acidente, o aluno e os colegas estavam sozinhos na sala de aula.

“Ai, eu sai me debatendo para poder apagar. Ninguém me ajudou. Aí veio a supervisora e o professor, o que inventou essa feira de ciências para ajudar. Ai, me levou para pro pronto socorro. Nunca mais vou mexer com álcool, nem com fogo. Porque, depois, a dor é insuportável”, disse o estudante.

Cinco dias após o acidente, que aconteceu na quinta-feira (5), o adolescente mal consegue andar. Por causa dos ferimentos, ele não pode mais frequentar a escola. Os pais já procuraram o Conselho Tutelar e pretendem ir até a polícia.

“Eu preferia sinceramente que o professor tivesse olhado a experiência ali na hora e dito que ele não iria apresentar e dado um zero. Porque deixar o menino fazer esse tipo de experiência e acontecer o que aconteceu”, reclamou a mãe.

Escola negou que professores não tenham supervisionado trabalho de aluno em Campanha (Foto: Reprodução EPTV)Escola negou que professores não tenham supervisionado trabalho de aluno em Campanha (Foto: Reprodução EPTV)

A Escola Estadual Dom Inocêncio negou que os alunos faziam as experiências durante a feira sem a supervisão de professores, inclusive o estudante que teve queimaduras. Ainda segundo a escola, um professor socorreu o menino imediatamente e o levou para o pronto-socorro. A escola também informou que acompanha a recuperação do aluno e que já visitou a família para dar assistência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *