Ex-diretor e agentes penitenciários são absolvidos de acusação

presidio_interna

O ex-diretor do Presídio de Poços de Caldas, Marcelo Henrique de Souza e três agentes penitenciários acusados de torturar um preso em 2013, foram absolvidos da acusação pela Justiça. Eles estavam afastados da função desde abril de 2014.

Na sentença, o juiz responsável pelo caso, Narciso Alvarenga Monteiro de Castro, apontou que os réus deveriam ser absolvidos por haver divergência entre os depoimentos das testemunhas. Ele também alegou que não haveria uma testemunha ocular da agressão e tortura denunciadas pelo preso.

No documento, o juiz também afirma que o preso promoveu um quebra-quebra na cela onde estava isolado por indisciplina e que não é incomum detentos se machucarem para incriminar carcereiros. O preso também é apontado como preso de mau comportamento.

Segundo os advogados de defesa do ex-diretor do presídio e dos agentes penitenciários, Wanderley de Melo e Luiz Fernando Quinteiro, será pedida a reintegração deles nos cargos.

A Secretaria de Estado de Defesa Social informou que Marcelo Henrique de Souza não era concursado e por isso não pertence mais ao quadro de servidores da Sedes. Os agentes também não eram concursados e conforme a secretaria, ela ainda não foi notificada da decisão judicial. O Ministério Público ainda poderá recorrer da sentença.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *