Dono de agência de modelos é investigado por suposto abuso de menores em Alfenas

A Polícia Civil investiga se meninas de 13 a 17 anos sofreram abuso sexual em Alfenas. Segundo o inquérito, elas eram mantidas em uma casa com a promessa de se destacarem na carreira de modelo. Uma das meninas, de 17 anos, conta que deixou o Paraná e foi para Alfenas em busca do sonho de ser modelo.

“Falou que.. chegando aqui eu ia poder fazer vários cursos, eu ia ter direito a fono, à nutricionista e tudo mais, que ao chegar aqui no máximo um mês, eu já estaria trabalhando”, disse a menina.

No entanto, em pouco tempo, ela descobriu que não era bem assim. Segundo a menina, o dono da agência estabelecia regras. Uma delas era ter relações sexuais com ele em troca de ascensão na carreira.

Polícia investiga se meninas de 13 a 17 anos foram abusadas com promessa de carreira em Alfenas (Foto: Reprodução EPTV)
Polícia investiga se meninas de 13 a 17 anos foram abusadas com promessa de carreira em Alfenas (Foto: Reprodução EPTV)

“Me prometeu várias coisas, que se eu fosse mais carinhosa com ele, me levaria para o Rio, São Paulo”, contou a menina.

“Ele ia no quarto, ele não batia na porta, ele entrava quando ele queria e deitava na cama. Passava a mão na gente e queria que a gente fizesse também carinho nele”, contou outra.

“A maioria foram forçadas a ter sexo com ele, é o que elas contam”, disse o conselheiro tutelar Paulo Silvério.

O caso mais grave, segundo o conselheiro, seria de uma menor de 13 anos, que teria sido estuprada. “Forçou a barra com ela, pegou ela à força, jogou ela na cama, arrancou a roupa dela, tampou a boca dela, fez barbaridades com a menina”, conta o conselheiro.

Segundo as vítimas, a agência de modelos funcionava na cidade há pelo menos quatro meses. Segundo um pai, que não quis ser identificado, a filha dele participou de um desfile na agência e que, depois, o dono pediu dinheiro para que a menina participasse de outro trabalho que nunca aconteceu.

Jovens que vieram de outras cidades viviam nesta casa em Alfenas (Foto: Reprodução EPTV)
Jovens que vieram de outras cidades viviam nesta casa em Alfenas (Foto: Reprodução EPTV)

“Pegou dinheiro e.. marcou a viagem duas vezes e não foi. Comecei a desconfiar, comecei a cobrar ele e ele corria de mim, eu ia na agência e ele escondia”, disse o pai.

O dono da agência ainda não foi encontrado para prestar depoimentos à polícia. As sete meninas que viviam na casa já foram submetidas a um exame de corpo delito. O resultado deverá sair em até 15 dias.

“Ainda há outras diligências a ser feitas para que nós possamos ter um diagnóstico melhor do que realmente aconteceu lá”, disse o delegado Thiago Gomes Ribeiro.

As meninas devem voltar para casa ainda nesta semana. “Me senti iludida, porque é um sonho meu isso e.. ele praticamente quase destruiu, só que eu não vou desistir disso”, disse uma das meninas.

A produção do Jornal da EPTV 2ª edição tentou falar com o dono da agência, mas ele ainda não foi encontrado para falar sobre o caso.

Fonte: G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *