DME registra aumento no número de inadimplentes em Poços de Caldas

O Departamento Municipal de Eletricidade (DME), de Poços de Caldas, registrou aumento no número de inadimplentes nos primeiros seis meses deste ano. O crescimento estaria ligado aos reajustes nas contas e à crise econômica no país.

Os dados do departamento apontam que de janeiro a julho de 2015, cerca de 1,4 mil consumidores deixaram de pagar as contas, o que representa aproximadamente 2% do total de 70 mil residências do município. Já no mesmo período deste ano, o número de inadimplentes subiu para 2,2 mil.

O presidente do DME, João Deom Pereira, explica que com a nova taxa de inadimplência, o departamento deixa de arrecadar em torno de R$ 2 milhões por mês. O consumidor que atrasar a conta de energia, pode ter o fornecimento de energia elétrica cortado dentro de um prazo de 60 dias. Após o corte, a dívida pode ser negociada.

“Normalmente quando a pessoas nos procura, a gente propõe o parcelamento daquele débito. Esse parcelamento a gente faz em até seis vezes, e ele [consumidor] pagando a primeira parcela a gente já religa a energia. Ou se a pessoa não optar em parcelar, ela pode pagar o débito total e, imediamentamente, a gente religa a unidade consumidora. Então, não temos outra saída, temos uma legislação que temos que seguir. Somos um serviço público e nos submetemos à regras da ANEEL, que é nossa agência reguladora, e não temos paleativa a não ser a renegociação”, diz o presidente do DME.

Uma das justificativas, além da situação econômica brasileira, é que só em 2015, a conta de luz dos moradores de Poços de Caldas sofreu três reajustes: um no sistema de bandeiras tarifárias e duas revisões. Os aumentos teriam peado no bolso dos consumidores.

“Se não me engano gira em torno de 104% o aumento de energia elétrica em Poços de Caldas no ano passado. É muito. O consumidor de energia elétrica de Poços está assustado com os valores que estão vindo na conta de energia deles”, afirma Arlene Nogueira Mareca, presidente do Conselho de Consumidores do DME.

De acordo com o DME, motivos para atrasos seriam reajustes de energia elétrica e atual situação econômica. (Foto: Reprodução EPTV)
De acordo com o DME, motivos para atrasos seriam reajustes de energia elétrica e atual situação econômica. (Foto: Reprodução EPTV)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *