Copasa implanta Sistemas Agroflorestais no Sul de Minas

São Tomé das Letras foi a cidade piloto do projeto

Com o objetivo de disseminar as noções básicas da agroecologia e promover transformações socioambientais para proteção de mananciais, a Copasa, por meio do convênio com a Fundação Banco do Brasil (FBB), realizou no período de 18 a 24 de outubro, o treinamento para implantação dos Sistemas Agroflorestais (SAF) em quatro propriedades rurais situadas na bacia do ribeirão Canta Galo em São Tomé das Letras, no Sul de Minas.

Os trabalhos, coordenados pela Associação Veracidade, contratada por meio da FBB, contaram com a participação de cerca de setenta pessoas, entre empregados da Copasa, membros do Coletivo Local de Meio Ambiente (Colmeia) e de outros representantes das comunidades locais.

Com o plantio de diferentes espécies, o SAF reúne culturas agrícolas e espécies arbóreas que equilibram e proporcionam a diversidade e a interação ecológica do sistema agrícola, possibilitando o controle natural de pragas e doenças, gerando impactos positivos nas bacias hidrográficas.

Para Maíra Fares Leite, geógrafa da Copasa, o SAF é uma oportunidade visualizada como um plano potencial de utilização do solo nas bacias hidrográficas onde é feita a captação de água pela Copasa. “Acreditamos no resultado dessas capacitações, dessas unidades demonstrativas como forma de promover o conhecimento e impulsionar a transição para o cultivo sustentável, alinhado com a preservação do solo e da água dessas bacias”, comentou.

Sócrates Fernandes, morador de São Tomé das Letras, há mais de 20 anos e proprietário de uma das localidades em que foi implantado o SAF, acredita que a participação no projeto já é um ganho. “Tudo que eu consegui na vida foi aqui em São Tomé. Agora vou poder retribuir ao contribuir para que tenhamos mais qualidade de vida”, destacou.

José Roberto Martins da Silva Júnior, proprietário de um local onde também foi realizada a implantação do SAF, comentou: “vamos receber visitas de pessoas ligadas ao roteiro da permacultura. Por isso, vamos fazer com que esses locais se tornem uma escola para o desenvolvimento de ações sustentáveis, ensinando as pessoas a viverem de forma harmoniosa com a natureza”, comentou.

A implantação realizada irá auxiliar a recuperação e preservação do ribeirão Canta Galo, manancial utilizado para captação de água no abastecimento do município

Investimento e transformação

Presente em 187 municípios do Estado, o Pró_Mananciais, criado pela Copasa em 2017, tem como premissa básica a responsabilidade compartilhada e a participação social. Os Colmeias, grupos formados por representantes de órgãos e instituições estaduais, municipais, sociedade civil e empresas privadas, promovem discussões, planejam as ações e fazem o acompanhamento das atividades como: cercamentos de nascentes, plantios de mudas, construções de barraginhas, entre outras, para recuperar e preservar os mananciais.

No âmbito do Pró-Mananciais, está previsto o desenvolvimento de 104 unidades demonstrativas em Minas Gerais para capacitar e disseminar a tecnologia social nos municípios operados pela Copasa e, com isso, impulsionar a cultura da sustentabilidade e o cuidado com as bacias hidrográficas.

Foram plantadas hortaliças, frutas, raízes e mudas de espécies nativas da região
 Fonte: Copasa – Assessoria de Imprensa / Fotos: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *