Comerciantes comemoram nível do Lago de Furnas em Campo Belo

Com a recuperação do nível do Lago de Furnas, o distrito turístico do Porto dos Mendes, em Campo Belo, está cada vez mais movimentado. O reservatório já passou dos 762 metros acima do nível do mar, o que é considerado satisfatório no suporte ao turismo e à prática de esportes náuticos.

Quem vai ao distrito atualmente mal consegue acreditar que há um ano, toda a água tinha praticamente sumido. Em fevereiro de 2015, o Lago de Furnas tinha apenas 11,41% do volume útil e em 2010, a situação do reservatório estava com cerca de 10%.

O comerciante Cleunir Junior Pereira foi um dos que teve bastante prejuízo, tanto na criação de tilápias, quanto no bar, que ele administra com a esposa. Na época eles chegaram até a pensar em fechar o estabelecimento.

“O pessoal [se] afastou por causa da falta d´água e nós tínhamos expectativa de crescer, mas neste ano cresceu mesmo, o pessoal veio no Carnaval, tem gente construindo rancho e esperamos que melhore cada vez mais”, comentou.

Mas as chuvas vieram, o lago se recuperou e agora eles devem se reestabelecer. O comerciante Douglas Antônio Ribeiro estava esperando inclusive essa alta do nível do lago para investir. Há um mês ele investiu no próprio negócio e abriu uma lanchonete. No local, ele tem visto o movimento aumentar a cada fim de semana.

Moradores e comerciantes comemoram alta do lago (Foto: Reprodução EPTV)
Moradores e comerciantes comemoram alta do lago (Foto: Reprodução EPTV)

“Eu já vinha sempre e pensei: vou abrir um comércio para mim. Como a água estava lá embaixo, eu não estava tendo coragem, agora a água subiu, está lá em cima, está dando bastante movimento, já superamos o que eu imaginava”, destacou.

Já o presidente da Associação de Moradores do Distrito dos Mendes, Eustáquio Azevedo, tem uma casa com vista privilegiada para o lago. Nos últimos dois anos, ele resolveu fotografar o nível da água sempre do mesmo ângulo e acabou registrando todas as fases da estiagem até o Rio Grande finalmente voltar a alagar a região. Agora, ele espera que a situação possa continuar melhorando.

“Para não prejudicar o turismo, a pesca e a criação e peixes, porque é uma fonte de riqueza pro Estado e fonte de renda para gente também”, disse.

A esperança dele é compartilhada por quem depende do lago para sobreviver, como Cleunir Junior. “Tomara que continue com essa quantidade de água para o comércio fluir e manter esse cenário lindo que é nosso mar de Minas”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *