Com aumento de casos, app ajuda a monitorar lobos-guará na região

O aparecimento de lobos-guará em áreas urbanas do Sul de Minas tem sido cada vez mais frequente. Somente no início deste ano, três animais foram vistos em cidades da região. Um aplicativo criado pela Universidade Federal de Lavras (Ufla-MG) pode ser uma solução para reduzir os casos. O programa monitora os casos de atropelamentos de lobos em todo o país. O objetivo é mapear os locais onde os animais mais aparecem para tentar salvar a espécie, que com a redução das matas, se torna vítima em áreas urbanas.

Na manhã do dia 11 de junho, uma fêmea de lobo-guará foi capturada dentro de uma loja de roupas no Centro de Perdões. Segundo a 6ª Companhia de Meio Ambiente de Lavras, o animal teria saído da mata e entrado na cidade. Por causa do movimento existente na Avenida Sete de Setembro, se assustou e entrou dentro do estabelecimento.

Já em Varginha, no mês passado, um lobo-guará acabou se escondendo no estacionamento de uma farmácia, bem no Centro da cidade. Ele também foi capturado por bombeiros e, depois, levado para o zoológico da cidade.

4254730_x240Em busca de espaço
Apesar de ter hábitos noturnos, foi também de manhã que um lobo-guará resolveu aparecer no entorno do Parque Nacional do Itatiaia, em Itamonte, em janeiro deste ano. Um susto para o vigilante, que tomava café quando viu a movimentação. O animal parecia estar em busca de alimento, mas como não encontrou, rapidamente foi embora.

Segundo o professor do departamento de ecologia da Ufla, Alex Bager, a explicação para tantas aparições em zonas urbanas pode estar na redução das áreas que o lobo-guará costuma habitar.

“Nós estamos ocupando os habitats desses animais”, explica Bager. “Nós estamos ocupando por causa de agricultura, por causa da pecuária, construindo estradas, desmatando regiões e reduzindo o habitat deles. Esses animais, por si só, precisam de comida, precisam de espaço e aumentam a área de distribuição, procurando esses recursos de que eles precisam e, naturalmente, acabam encontrando cidades.”

O aplicativo
O lobo-guará chega, em média, a um metro de altura e se alimenta basicamente de roedores, pequenos répteis, aves e frutas. Apesar de ser considerado um animal tranquilo, pode atacar quando se sentir ameaçado. Por isso, muitas vezes, acaba sendo morto ou se envolvendo em acidentes, o que motivou a universidade a desenvolver o aplicativo de celular para que as pessoas possam ajudar no mapeamento de animais atropelados.

Com o nome de “Urubu Mobile”, basta fazer uma foto e o próprio GPS do aparelho envia a localização para o sistema. Foi uma forma encontrada para descobrir os lugares em que os animais estão cruzando estradas ou cidades com maior frequência.

aplicativo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *