Cidades do Sul de Minas voltam a ser castigadas pelas fortes chuvas

Redação CSul – Alisson Marques/Franciele Brígida 

Chuvas continuam a castigar e causar estragos em cidades do Sul de Minas. As tempestades que atingem municípios da região desde  última a segunda-feira (10), deixaram alagamentos, estragos, desabrigados, deslizamentos, cheia nos rios e quedas de árvores. Diversas cidades estão sob alerta máxima da Defesa Civil, que está buscando controlar a situação junto às Prefeituras.

Campestre

Em Campestre, a prefeitura chegou a decretar estado de calamidade pública nesta terça-feira (11). Três famílias tiveram que deixar suas casas nos bairros Trevo e Vila do Beijo. Em uma das residências, uma mulher grávida de nove meses teve que sair do imóvel.

As aulas na rede municipal foram canceladas e só devem retornar na próxima segunda-feira (17). Com o mau tempo, o muro de um prédio cedeu e interditou a estrada próxima a represa. De acordo com a Defesa Civil, a água alagou ruas e atingiu 50 centímetros. A represa transbordou e levou parte da estrada de terra que dá liga os bairros rurais da Divisinha e Estiva.

A estrada foi interditada em ambos os sentidos e a represa está sob monitoramento. No bairro Capituvas foi registrado um deslizamento de terra.

Muro cedeu com a força da chuva/Foto: Corpo de Bombeiros

Itajubá

Nos bairros Medicina e Água Limpa na zona rural, foram registrados pontos de alagamento. Imóveis foram parcialmente atingidos por um deslizamento de terra, no bairro Novo Horizonte. Para realizar a remoção da terra, um trator foi até o local.

Próximo ao Hospital Escola uma árvore caiu. Os locais afetados foram visitados por equipes da prefeitura. O nível do Rio Sapucaí segue em monitoramento, ele corta os  bairros Santa Rosa, Porto Velho, Centro e Boa Vista.

Apesar dos estragos, nenhuma família precisou sair de casa.

Deslizamento de terra que atingiu Itajubá/Foto: Reprodução Redes Sociais 

Poço Fundo

Poço Fundo é até agora a cidade mais afetada pela força das chuvas. Foram registrados pontos de alagamento em vários locais do município. O bairro São Benedito foi o mais atingido; quatro residências precisaram ser desocupadas provisoriamente. Moradores ainda não foram informados sobre quando é seguro retornar.

Os rios apresentam um nível acima do normal, o que vem gerando preocupação na cidade. Na zona rural, os bairros Jacutinga, Cachoeirinha e Bocaina foram afetados. Um deslizamento de terra atingiu o distrito de Paiolinho.

No Centro, lojistas tentavam colocar lonas e sacos com areia para improvisar uma barreira tentando impedir que a água invadisse seus estabelecimentos. A força e altura da água era tanta que carros parados nas ruas foram cobertos. Motoristas se arriscaram na enchente.

Pessoas eram resgatadas de toda forma, carregadas em caçambas de caminhões, no colo de outras pessoas.

Carnaval cancelado

O prefeito Renato Ferreira de Oliveira, afirmou que o tradicional Carnaval no município está cancelado em 2020. Segundo ele, a ideia é utilizar a verba que estruturaria a festividade para reparar e recuperar os danos que a cidade vem passando. A prefeitura decretou estado de calamidade pública.

Águas invadiram caças e estabelecimentos em Poço Fundo/Reprodução Redes Sociais 

Poços de Caldas

Pontos de alagamentos foram registrados no bairro Jardim Kennedy, na Zona Sul do município. No bairro o córrego que corta o local transbordou e invadiu ruas. Algumas residências também foram afetadas pela água.

Com a ajuda de vizinhos um idoso precisou ser retirado de casa. No bairro Jardim Ipê, parte da terra de um barranco desceu. De acordo com a Defesa Civil, uma residência está em risco.

Pontos de alagamentos também foram registrados no Parque Municipal Antônio Molinari. Um rio que fica próximo ao parque, teve elevação no nível. De acordo com a Defesa Civil, esses locais estão em monitoramento.

Pouso Alegre

Após o ribeirão transbordar, a avenida Antônio Scodeler, que liga os bairros Faisqueira e Pão de Açúcar, foi parcialmente interditada. Motoristas contaram com o auxílio da Defesa Civil no local.

Parte do bairro São Geraldo também foi afetado pelo temporal. Internautas registraram pontos de alagamento na rua Sabino de Azevedo.

Não houve desabrigados ou desalojados. De acordo com a Defesa Civil da cidade, os pontos que apresentam riscos, assim como os rios Mandu e Sapucaí, estão sob monitoramento.

Bandeira do Sul

Pontos de alagamento foram registrados no Bairro Santa Terezinha, um campo de futebol ficou embaixo d’água. No Centro, parte da rua Manoel Rodrigues, cedeu devido a chuva, deixando uma área interditada. Uma residência foi afetada pela água.

De acordo com a Polícia Militar, houve registros de três imóveis atingidos pela enchente no bairro Chernovi. Moradores não precisaram se retirar.

Um deslizamento ocorreu na BR-267, parte da vegetação desceu para a rodovia entre os quilômetros 479 e 499. Equipes da prefeitura estiveram no local.

Delfim Moreira

A BR-459 foi interditada após a queda de uma barreira. O trânsito ficou interditado entre Delfim Moreira e Piquete (SP). No entanto, reparos começaram a ser feitos e o trânsito está sendo normalizado. Para quem precisa passar pelo local a alternativa é o desvio de caminho.

Deslizamento de uma barreira ocasionou transtornos na BR-459/Foto: Polícia Rodoviária Federal

Botelhos

Segundo informações da Polícia Militar, o córrego que fica próximo à entrada do município transbordou e atingiu a estrada rural de Pinhalzinho. O local segue sendo monitorado pelos militares para evitar que acidentes aconteçam. O grande volume de chuva fez com que lama fosse carregada até a piscina de um clube.

Natércia

Segundo a Defesa Civil, o Centro foi mais afetado pela chuva, que durou aproximadamente quatro horas. Apenas uma residência foi afetada pela água.

Uma rua que dá acesso ao bairro da Usina registrou o deslizamento de um barranco e derrubou uma árvore. O local já foi limpo e está liberado. Trabalhos estão sendo realizados nas vias afetadas. Na cidade, a chuva já cessou e servidores aguardam a água baixar na cooperativa para concluir a limpeza.

Paraguaçu

O trecho da Rodovia MG-491, entre Alfenas e Paraguaçu, foi interditado na madrugada desta quarta-feira (12), devido ao desmoronamento de parte da pista próximo ao km 195. De acordo com a Polícia Rodoviária, a interdição ocorreu nos dois sentidos da pista. No momento do desmoronamento, nenhum carro transitava no local.

Uma equipe do DRE (Departamento de Estradas de Rodagem) foi até o local e avaliou a situação. Para motoristas que precisem fazer o trajeto a solução é buscar rotas alternativas.

A Polícia Rodoviária indica que para quem for fazer o trajeto, que desvie o caminho por Machado. A pista não tem previsão de liberação.

Casas interditadas 

Cerca 30 casas foram alagadas por conta da chuva que caiu na última terça-feira (11). Os Jardim das Acácias, Bela Vista, Colinas São Marcos e Mozart Luiz de Paulo são os mais atingidos. Dez famílias estão desabrigadas.

Pedaço do asfalto cedeu, abrindo uma cratera enorme da MG-491/Foto: Reprodução Redes Sociais

São Lourenço

Um alerta laranja foi emitido pela Defesa Civil de São Lourenço devido ao risco de transbordamento do Rio Verde, que corta o município. O ato foi emitido na manhã desta quarta-feira (12) e segue valendo para as próximas horas.

Moradores de partes baixas da cidade e principalmente as que moram às margens do Rio, devem ficar atentos. De acordo com coordenador de Proteção e Defesa Civil da cidade, Eduardo Souza, moradores que residem nessas áreas podem separar seus pertences, para que haja tempo de uma saída tranquila em caso de cheia.

“A previsão que a água chegue entre 12h e 13h. A gente antecipou para as pessoas já fiquem atentas e se preparem. A água chega aos poucos, então o trasbordamento pode acontecer até mais tarde”, disse Eduardo.

Rio Verde pode transbordar qualquer momento em São Lourenço/Foto: Prefeitura Municipal

Caxambu

Uma mulher foi morta vítima das fortes chuvas que atingem o Sul de Minas. Sandra Regina, de 58 anos, morreu soterrada na última terça-feira (11).

De acordo com a Prefeitura Municipal, a vítima morreu depois de tentar salvar um tanquinho de lavar roupas. A residência de Sandra já havia sido interditada. O corpo foi encaminhado para o IML da cidade.

Segundo a prefeitura, dez pessoas ficaram desalojadas após a Defesa Civil avaliar que no local havia risco de mais deslizamentos.

Pouso Alto

Em Pouso Alto, moradores estão apreensivos quanto ao nível do Rio Capivari, que corta o centro da cidade e está bem próximo do transbordo.

Seritinga

Em Seritinga, os rios Aiuruoca e Franceses estão cheios e preocupam moradores da cidade e de Serranos, município vizinho. Algumas famílias estão atentos caso precisem deixar suas casas. O nível dos rios está subindo rápido.

Italo Almeida
Italo Almeida

Carmo de Minas

O Ribeirão do Carmo que corta o bairro Santo Antônio (Tiêta) e o Centro, ficou prestes a transbordar. Na rua da Bomba, no bairro Palmela, o ribeirão alagou toda a parte baixa da via, deixando o trânsito de veículos e pedestres interditado.

Cristina

Houve deslizamentos de terra e transbordo nas partes baixas da cidade, no ribeirão que forma o complexo de cachoeiras da Gruta. Além disso, um trecho da MG-383 apresenta um grande buraco, próximo a divisa com o município de Carmo de Minas, devendo os motoristas redobrarem a atenção.

Boa Esperança

Duas pessoas precisaram ser resgatadas de barco após um alagamento na última terça-feira (11). A chuva alagou vários pontos na cidade.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, um homem estava transitando com um carro quando não conseguiu passar pelo rua devido aos alagamentos. O barco precisou ser utilizado para o resgate da vítima.

Também no Centro, uma mulher precisou ser retirada de sua residência depois que seu imóvel foi invadido pela água. Ela também foi resgatada de barco.

Na BR-265, entre Boa Esperança e Santana da Vargem, o trânsito ficou apenas em meia pista após um deslizamento.

Muzambinho

Duas residências precisaram ser interditadas na última terça-feira (11), por conta do grande risco de deslizamento. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a operação foi feita por conta do alto risco de queda e deslizamento de uma encosta de 7 metros que fica atrás das duas casas.

Ainda segundo a corporação, a Defesa Civil da cidade já havia recomendado a retirada das pessoas anteriormente. As famílias foram encaminhadas para casa de parentes e só poderão retornar depois que o problema da encosta seja resolvido.

Risco de deslizamento deixa duas casas interditadas em Muzambinho/Foto: Corpo de Bombeiros

Santana da Vargem

A chuva que caiu na noite da última terça-feira (11), deixou quatro casas alagadas na Avenida Marginal Ribeirão Santana. Segundo a secretaria de obras, famílias tiveram que abandonar suas residências.

Chuva alagou casas e deixou famílias desabrigadas em Santana da Vargem/Foto: Reprodução Redes Sociais

Heliodora

Cerca de 30 famílias precisaram deixar suas casas devido a força das chuvas que passou pela município na última terça-feira (11). Os bairros mais afetados foram o Nossa Senhora Aparecida, Vista Verde, Primavera, Vargem e Parque Industrial, de acordo com a Defesa Civil.

O alto volume de água interditou pontes nos bairros Ribeirão Vermelho e Rocinha. Equipes da Defesa Civil vão até o local para realizar uma vistoria e identificar as estruturas das pontes.

A estrada que dá acesso ao bairro Brejãozinho continua interditada. Um veículo caiu em um ribeirão e foi danificado. O motorista foi retirado e não teve ferimentos.

Carro caiu em um ribeirão no momento da chuva/Foto: Dênis Derkian

Machado

Pelo menos 20 moradores estão desalojados devido as chuvas que seguem caindo na comarca. As vítimas estão sendo hospedadas na Escola Municipal Padre José.

De acordo com a Prefeitura Municipal, o rio machucado chegou a subir cerca de 35 milímetros por hora. A Defesa Civil relatou que, as fortes chuvas que caíram em Poço Fundo, contribuiu para a subida rápida do rio.

Os bairros mais atingidos foram o Santo Antônio I, Santa Luiza, Ouro Verde e o rural Caiana. A avenida doutor Renato Azeredo também ficou alagada.

Aulas na escola Padre José e na zona rural foram suspensas por conta das chuvas. Na zona rural, todo acesso está impedido

Em Machado, pelo menos 20 moradores ficaram desalojados. Eles estão sendo abrigados na escola municipal Padre José, no Jardim das Oliveiras. Segundo a assessoria da prefeitura e a Defesa Civil, durante a noite, o rio Machado subiu 35 milímetros por hora.

Ipuiúna e Santa Rita de Caldas

Um veículo ficou com parte submersa após um acidente na última terça feira (11), na BR-459, entre Ipuiúna e Santa Rita de Caldas.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, no momento da ocorrência chovia no local e o rio que corre ao lado da pista transbordou. A condutora do carro optou por trafegar no trecho, no entanto rodou e caiu com o carro dentro do rio.

A vítima teve apenas ferimentos leves.

Carro ficou parcialmente submerso após cair em rio/Foto: Polícia Rodoviária Federal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *