Chuvas protagonizam estragos em cidades do Sul de Minas; Reparos tem início em pontos afetados

Redação CSul: Franciele Brígida

Cidades da região enfrentaram mais um dia de chuvas intensas. Na última quarta-feira (12), o número de desalojados aumentou, um rio transbordou, e moradores não deixaram residências em situação de risco.

Os municípios que registraram ocorrências foram, Campo Belo, Bandeira do Sul, Passos, Santana do Jacaré e Andradas.

Obras em locais afetados tiveram início e o Rio Verde, em São Lourenço apresentou baixa.

Campo Belo

Diário de Campo Belo

Durante a noite e a madrugada desta quarta-feira  (12), ao menos dez famílias tiveram que sair de suas residências, no local conhecido como Prainha. A tempestade teve início às 4h. Os moradores que saíram de suas casas se refugiaram na casa de vizinhos e entraram em contato com a Defesa Civil.

De acordo com a gestão da cidade, Campo Belo não enfrentava uma enchente desde 2011. Acredita-se que o volume da água veio de Candeias pelo ribeirão.

Santana do Jacaré

Na cidade, o rio transbordou, após subir mais de três metros. O monitoramento do rio estava sendo realizado pela Defesa Civil, a chuva teve início às 19h30, fazendo com que o rio subisse rápido.

Pela madrugada a tempestade veio com mais força. Moradores que vivem nas margens do rio, foram retirados pela prefeitura. Os pertences foram levados para creches e escolas da cidade.

Pontos interditados

Pela manhã desta quinta-feira (11), um deslizamento ocorreu na BR-354, que liga Campo Belo a Candeias, a via foi interditada. Entre Campo Belo e Santana do Jacaré, na BR-369, também ocorreu interdição.

 Não há previsão para liberação da rodovia.

Passos

Na noite da última quarta-feira (12), a forte chuva fez com que duas residências desabassem. Localizadas no bairro Aclimação, as casa já haviam sido interditadas pelos Bombeiros. Uma das casas, caiu completamente, enquanto a outra, perdeu o muro e acabou suspensa em decorrência do desmoronamento do terreno.

A casa que cedeu completamente era habitada por duas pessoas. A outra residência abrigava três pessoas. Não houve feridos.

Um desmoronamento de outros três imóveis aconteceu, na mesma rua, as casas que ficam localizadas próximas a um córrego, correm risco de desmoronamento. Os moradores dos imóveis foram orientados a se retirarem.

Caxambu

O sepultamento de Sandra Regina Parede, de 58 anos, que faleceu vítima de soterramento na última terça-feira (11), aconteceu no cemitério da cidade. Mesmo com a situação, moradores que vivem em casas com situação de risco, se recusam a abandonar as residências na cidade. Novas interdições aconteceram na última quarta-feira (12), no bairro Santa Tereza.

Bairros com áreas de risco foram percorridos pela Defesa Civil que tentou convencer os moradores a sair das residências.

No bairro, há risco de deslizamento, já que o solo está encharcado.

Ao menos 14 famílias ficaram desalojadas ou desabrigadas. Os afetados pela tempestade estão sendo levados para hotéis.

Bandeira do Sul

Devido as fortes chuvas que vem atingido a cidade, o número de desabrigados voltou a subir, desta vez registrando 400  pessoas desalojadas ou desabrigadas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, 320 pessoas estão desalojadas e se abrigaram em casas de parentes e amigos outras 80 estão desabrigadas e tiveram que ser levadas para o Centro Comunitário.

De acordo com os militares, na cidade três pontes foram destruídas e outras duas estão danificadas. Devido aos estragos, a cidade decretou situação de emergência.

Na cidade, dentro de apenas um dia foram registrados 70 milímetros. Mais de 100 casas foram atingidas, após o Rio Marambaia transbordar. Ocorrências de deslizamentos de terra e pessoas ilhadas na zona rural, também foram registrados na cidade.

Durante a madrugada da última terça-feira (11), moradores da cidade acordaram com as residências sendo invadidas pela água.

As ruas foram tomadas pela água, a correnteza levava o que encontrava pela frente. Televisores, brinquedos, caixas com roupas e um freezer foram levados. O asfalto cedeu em alguns pontos da região. Deslizamentos também foram registrados na cidade.

Árvores caíram na fiação próximo ao bairro Chernoviz, uma parte do bairro ficou debaixo d´água.

O volume do Rio Marambia se elevou, diversas casas foram afetadas. Uma creche municipal também foi afetada, aulas foram suspensas.

Reparos na MGC-491

Na manhã desta quinta-feira (13), equipes deram início nas obras de recuperação do trecho da MGC-491 entre os municípios de Alfenas e Paraguaçu, na madrugada da última quarta-feira (12) a chuva fez com que uma cratera se abrisse. Inicialmente as informações apuram um desvio às margens da rodovia.

Para abrir o novo acesso, funcionários e máquinas operaram com terra e cobertura asfáltica. Desvio será de cem metros e terá duas faixas.

Obras tem previsão para ser concluídas em 48 horas, caso não volte a chover. Através de nota, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-MG) disse que a obra é para viabilizar o retorno do trânsito em ambos os sentidos.

 Fama

A represa da cidade tem risco de rompimento, após as chuvas intensas que afetaram a região.
Na última quarta-feira (12), segundo informações do site Minas Acontece, funcionários da prefeitura da cidade estiveram no local colocando lonas de erosão que se abriram no solo. De acordo com o cabo Maciel da Polícia Militar (PM), no local havia uma manilha para escoar o excesso de água do loga artificial, no entanto com o aumento da vasão, a manilha estourou causando a erosão na terra, por precaução o local foi interditado.
*Com informações Minas Acontece

Poços de Caldas

 A Prefeitura está dando todo o suporte para as famílias atingidas por um alagamento pontual, na rua Magnésio, no bairro Jardim Kennedy. As casas atingidas estão sendo vistoriadas pela Defesa Civil e Secretaria de Promoção Social, que está visitando famílias atingidas, verificando inclusive a possibilidade do benefício do auxílio aluguel ou encaminhando-as para abrigos do município.
Mesmo com a forte chuva desta madrugada, com mais de 100 milímetros, o ribeirão Platina, que corta o bairro, não transbordou, graças às obras que foram realizadas nas margens, com construção de muros de gabião e alargamento do leito do ribeirão. A rua Magnésio situa-se na parte baixa do bairro, mais sujeita a alagamentos.
Fonte: Prefeitura de Poços de Caldas

Andradas

Redes Sociais

O acúmulo de chuvas em Andradas e região fez com que o Rio Jaguari, na zona rural de Andradas, transbordasse. Imagens gravadas por moradores mostram o rio passando por cima da estrada.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra que o Rio Jaguari transbordou na altura do Bairro Ronca. Com isso, a água tomou parte da pista, o que prejudicou o trânsito de veículos no local.

De acordo com a Defesa Civil de Andradas, na última terça-feira alguns locais da cidade, como o distrito de Campestrinho e nos bairros da Barra e Taboão, o nível dos rios subiu e algumas áreas ficaram alagadas.

Fonte: Portal da Cidade Andradas/André Vince

São Lourenço

O Nível do Rio Verde tem assustado os moradores da cidade por estar muito acima do nível devido as águas das chuvas que caíram nas terras altas da Mantiqueira nos últimos dias e que estão seguindo seu curso.

Na manhã desta quinta-feira (13) a reportagem do site Popular.net esteve na Ponte da Estação e acompanhou a aferição da régua que marca o volume das águas, que vem sendo realizada periodicamente durante toda a noite pela Defesa civil e pelo Corpo de Bombeiros. A boa notícia é a aferição desta manhã apontou para a diminuição do aumento do volume de água que passa pela cidade, que na última aferição realizada às 3h da madrugada de hoje estava na casa de 4cm por hora e pela manhã às 6h40m estava virando com menos de 2cm por hora e estabilizando. A área da régua foi isolada pelo Corpo de Bombeiros e pela Defesa Civil para evitar qualquer tipo de acidente com curiosos que possam vir a querer se aproximar do rio a fim de pevenir acidentes.

Fonte: O Popular.net

 Campos Gerais

No início da tarde desta quarta-feira (13), uma mensagem percorreu as redes sociais trazendo a informação de que uma possível barragem havia se rompido na cidade. O CSul entrou em contato com a PM e foi informado de que os militares também haviam visto essa informação, no entanto não foram acionados.
Mais tarde, o CSul foi informado de que na verdade um dique se rompeu na cidade em decorrência das fortes chuvas que vem atingindo o Sul de Minas.
Até a publicação desta matéria não foram obtidas maiores informações.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *