Após morte de angolano, Consulado vai pedir mais segurança

Um representante do Consulado de Angola disse nesta terça-feira (3), em Santa Rita do Sapucaí, que irá cobrar medidas do governo brasileiro para que a segurança de estudantes estrangeiros seja garantida na região. Ao todo, 44 angolanos estudam no município. No último final de semana, Jocéu Wando Capilo, de 30 anos, foi morto com dois tiros após tentar separar uma briga. Segundo o representante do governo angolano, os estudantes estão assustados.

“É um procedimento que deve haver mais até para a tranquilização da nossa comunidade aqui, para que a comunidade saiba afinal de contas que nós estamos com eles e que eles estão totalmente protegidos. Psicologicamente (os estudantes) estão com dificuldade de reagir e no entanto a nossa mensagem vai ser para tranquilizá-los, para que eles se sintam à vontade, porque pelo que nós pudemos constatar é uma situação que não tem nada a ver com a nacionalidade”, disse o representante, José Mendes.

Durante a tarde, foi decretada a prisão preventiva dos três suspeitos do assassinato do estudante angolano. Eles se apresentaram pela manhã na delegacia da cidade.

“O Jocel em momento nenhum agrediu qualquer desses elementos, inclusive sofreu o primeiro disparo quando estava com os braços erguidos, numa clara tentativa amistosa de pacificar um conflito. A crueldade deles foi tamanha, que o autor (João Paulo) após efetuar o primeiro disparo na vítima e ela cair ao solo, ajoelhou-se diante do corpo e efetuou mais um disparo atingido a face da vítima”, disse o delegado Mário Rodrigues Martins.

Ainda conforme a polícia, os três suspeitos já tinham passagem por crimes anteriores. A ficha criminal do suspeito de ter dado o tiro, João Paulo do Prado, é mais extensa. Ele tem 30 anos e já foi preso sete vezes por roubo. A última vez foi em fevereiro deste ano, por tentativa de homicídio. A polícia acredita que se ficar solto, ele poderá cometer mais crimes.

“Até por esta razão nós estamos representando pela prisão preventiva dele, que se solto ele estiver, ele vai continuar delinquindo”, disse o delegado.

O estudante angolano morava em Santa Rita do Sapucaí, há três anos. Ele cursava o 2º período de Engenharia de Telecomunicações. O corpo dele foi levado para Guarulhos (SP), de onde deve embarcar para Angola até a próxima sexta-feira (5).

joceu2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *