3º Mutirão Regional de Combate ao Aedes Aegypti reúne 59 cidades

Cinquenta e nove cidades da região participarão do 3º Mutirão Regional de Combate ao Mosquito Aedes Aegypti. A ação é promovida pela EPTV e será realizada no dia 27 deste mês, em parceira com as prefeituras da região.

Mais uma vez, Varginha se fez presente na reunião realizada nesta sexta-feira (12), na Cidade Universitária do Unis, representada pelo vice-prefeito Verdi Melo, que manifestou o apoio da administração a iniciativa.

“Todos os anos temos participado desta inciativa que vem a somar com as ações já implementadas pelo município no combate ao Aedes Aegypti. Acreditamos que todas as cidades da região vão estar envolvidas neste projeto e, sobretudo, fazendo com que a população se conscientize da sua participação nesta luta combate”, afirmou Vérdi.

“A nossa ideia é que no dia 27 realizaremos um grande Mutirão de Limpeza, e ainda desenvolvermos uma ação nas escolas, com apoio da Secretaria de Educação, voltadas para nossos alunos, que são agentes multiplicadores de informação. Além disso, queremos dar ênfase a Febre Amarela,  com uma campanha acirrada nas unidades de saúde, para que possamos conseguir alcançar a meta de pessoas imunizadas. São ações que já ocorrem na nossa rotina, mas que merecem ser reforçadas”, explicou  o encarregado do Setor de Vigilância Ambiental, José Donizeti Souza.

No encontro desta sexta-feira, foram discutidas as estratégias de combate ao mosquito e o que cada município pode fazer para tornar as ações ainda mais eficazes.

Casos de dengue em 2017

A Secretaria Estadual de Saúde divulgou nesta semana, o balanço dos casos de dengue de 2017. Em todo o estado foram mais de 29 mil casos.

A cidade da região com mais casos foi Três Corações, sendo mais de mil casos prováveis da doença. Considerando todo o Estado, a cidade ficou na 6ª colocação com a o maior número de casos.

A segunda cidade com o maior número de casos na região foi Varginha, com 403 casos prováveis, o que é menos da metade comparado com Três Corações. O município teve redução, pois em 2016 foram mais de três mil casos prováveis.

Segundo informações da Supervisora de Zoonoses de Varginha, Vânia Aparecida Silvério, devido aos períodos chuvosos, houve aumento devido à grande quantidade de focos encontrados nas residências.

“Neste período devemos redobrar a atenção nas casas, cuidar do local de trabalho e até nas ruas. As orientações são sempre as mesmas: não deixar água parada, tomar cuidado com as águas de chuva guardadas que devem estar sempre tampadas,aceitar a vistoria que os agentes fazem, entre outros fatores”, conclui.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *