Secretário nega ordem para PM permitir protesto na Paulista

Policiais bloqueiam Avenida Paulista onde ocorre manifestação (Foto: Paula Paiva Paulo/G1)
Policiais bloqueiam Avenida Paulista onde ocorre manifestação (Foto: Paula Paiva Paulo/G1)

O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Alexandre de Moraes, afirmou na manhã desta quinta-feira (17) que não houve ordem para a Polícia Militar permitir manifestantes contra o governo Dilma Rousseff na Avenida Paulista sem aviso prévio. Eles já ocupam a via nos dois sentidos há 18 horas.

Segundo Moraes, houve uma negociação para que a polícia comecaria a desobstruir a via por volta das 11h30. No entanto, a Avenida seguia interditada às 12h. O protesto começou às 18h30 desta quarta-feira (16). Pela manhã, PM disse que havia cerca de 50 pessoas.

“Já se iniciou pela Alameda Lorena e agora vai dar progressão para que rapidamente a avenida [Paulista] seja desobstruída”, disse Alexandre de Moraes.

“Não há ordem nenhuma [para a PM permitir o protesto na Paulista). A ordem é que é para realizar o mesmo protocolo que é realizado em todas as manifestações que não são avisadas e que obstruem ruas. E qual é este protocolo: em primeiro momento se cerca o local, como foi feito na escola Fernando Paes Leme quando obstruíram as duas vias da rua. Primeiro cerca o local, o trânsito cerca o local, para evitar transtornos, estão na negociação e se não saírem, vai ser desobstruída”, acrescentou Moraes.

Moraes falou com a imprensa durante a entrega de novos equipamentos e viaturas à Polícia Técnico Científica do Estado.

“Havia no início da manhã quando o policiamento de trânsito cercou a noticia de que haveria uma nova grande manifestação e isso não se confirmou e nós vamos desobstruir até para garantir a manifestaçao de amanhã, da CUT, do PT e de outras centrais sindicais”, acrescentou.

“A minha ordem foi para que se realize o mesmo protocolo que se realiza em todas as manifestações: negociação inicial e, se não houver sucesso na negociação, a necessidade de desobstrução. E é isso que vai ser realizado. É um protocolo que se faz. Vai ser desobstruída a Paulista”, acrescentou, por volta das 11h30.

Ele disse que “a negociação com os manifestantes que ocupam a Paulista se iniciou logo pela manhã, quando se verificou que não houve a saída voluntária dos manifestantes. O tratamento é igual tanto nas grandes manifestações quanto nas manifestações voluntárias que obstruem ruas”.

Protesto do PT na Paulista
Segundo Moraes, o protesto das centrais sindicais a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Paulista está marcado para às 16h de sexta-feira (18), com previsão, segundo a organização, de reunir cerca de 200 mil pessoas. Serão 7 carros de som com bloqueio da brigadeiro Luis Antônio até a Haddock Lobo.

“Nós vamos fazer o mesmo procedimento de segurança adotado no domingo passado (quando houve um protesto contra o governo Dilma)”, disse. Este evento já foi marcado e avisado previamente, explicou o secretário

Desvios devido ao protesto
Até as 12h50 desta quinta-feira, a  CET informava que a Avenida Paulista seguia bloqueada por um protesto, que começou às 18h26 de quarta-feira (16) entre as ruas Pamplona e Peixoto Gomide.

Com isso, o desvio para o motorista que pretende seguir pelo sentido Consolação acontece pela Alameda Campinas e pela Rua São Carlos do Pinhal. No sentido contrário, o desvio acontece pela Rua Peixoto Gomide e pela Alameda Santos. O grupo está na altura da Fiesp e não há previsão para liberação da via.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *