Massacre em Suzano-SP – Dois atiradores encapuzados matam 8 e se suicidam em escola

Dois jovens encapuzados mataram oito pessoas em uma escola na cidade de Suzano, incluindo seis alunos adolescentes, usando um revólver calibre 38 e uma besta, antes de cometerem suicídio, nesta quarta-feira, na segunda tragédia com múltiplos mortos por arma de fogo em três meses no Estado de São Paulo.

Segundo a Polícia Militar, os dois agressores primeiro dispararam contra duas funcionárias da escola e depois atiraram na direção dos alunos do Ensino Médio que estavam em horário de lanche. Pouco depois os dois agressores cometeram suicídio em um corredor do colégio.

“É a cena mais triste que já assisti em toda minha vida, e fico muito triste que um fato como esse ocorra em nosso país e aqui em São Paulo”, disse o governador de São Paulo, João Doria, a jornalistas no pátio da Escola Estadual Raul Brasil.

O comandante-geral da PM de São Paulo, Marcelo Salles, disse que antes de entrarem na escola os dois atiradores dispararam contra o proprietário de um lava-rápido que fica em frente ao colégio. O homem atingido, segundo o comandante, foi internado e estava sendo submetido a uma cirurgia.

Logo em seguida, os agressores ingressaram na escola e dispararam contra a coordenadora pedagógica e outra funcionária, que morreram no local. Os atiradores, então, seguiram para o pátio e abriram fogo contra alunos do Ensino Médio –os únicos que estavam na escola no momento.

Os dois cometeram suicídio em um corredor depois que alunos do centro de línguas se fecharam dentro de uma sala junto com a professora, disse Salles.

Além dos 10 mortos, sendo oito no local e dois em hospitais, outras 10 pessoas ficaram feridas, de acordo com o Centro de Comunicação Social da Polícia Militar de SP.

Segundo a PM, foram encontrados no interior da escola artefatos que, em princípio, seriam artefatos explosivos. O grupo de ações táticas especiais estava no interior do colégio vasculhando o local e analisando os dispositivos, de acordo com o comandante.

Em dezembro do ano passado, um atirador abriu fogo na Catedral Metropolitana de Campinas (SP), matando cinco pessoas no total. O atirador se suicidou após os disparos.

Já em abril de 2011, um homem armado invadiu uma escola no Rio de Janeiro e disparou contra estudantes, matando 12 alunos antes de ser atingido pela polícia e cometer suicídio.

A escola

Segundo o Censo Escolar de 2017, a instituição possui 358 alunos da segunda etapa do fundamental (6º ao 9º ano) e 693 estudantes do ensino médio. No local também funcionava um centro de idiomas.

Relato

A merendeira Silmara Cristina Silva de Moraes, de 54 anos, contou que ajudou a esconder 50 estudantes na cozinha.

“Nós estávamos servindo merenda e aí começou os ‘pipoco’ e as crianças entraram em pânico. Abrimos a cozinha em começamos a colocar o maior número de crianças dentro e fechamos tudo e pedimos para eles deitarem no chão”, conta chorando. “Foi muito desesperador, porque foi muito tiro, muito tiro mesmo e era muito pânico”.

Atendimento a vítimas e famílias

O Corpo de Bombeiros e equipes do Samu estão no local. Bombeiros de Mogi das Cruzes também foram chamados, às 9h50, para apoiar o atendimento. O helicóptero Águia, da PM, sobrevoou a escola. Toda a polícia de Suzano está mobilizada no caso.

A prioridade agora é identificar as vítimas e avisar as famílias, segundo as autoridades.

A Prefeitura de Suzano informou que as equipes da Defesa Civil, do Trânsito, da Segurança Cidadã, da Assistência Social e do Fundo Social de Solidariedade estão dando suporte no local para as famílias.

A Associação Cultural Suzanense, o Bunkyo, localizado na avenida Armando Salles de Oliveira, Centro, será ponto de acolhida para familiares, enquanto aguardam informações, e também para receber a imprensa.

Resumo

  • Atiradores mataram 8 pessoas e se mataram em seguida
  • Os atiradores e as vítimas ainda não foram identificados
  • 23 pessoas foram levadas a hospitais. Entre elas, há pessoas que ficaram feridas e outras que passaram mal após o ataque
  • Ainda não se sabe o motivo do ataque e o vínculo dos atiradores com a escola
  • Uma testemunha disse que viu um deles com arma de fogo e outro, com uma faca
  • A PM encontrou no local um revólver 38, uma besta (um artefato com arco e flecha), objetos que parecem ser coquetéis molotov e uma mala com fios
  • Antes de os autores do ataque entrarem na escola, um homem foi baleado em uma loja de veículos nas proximidades. A polícia ainda apura se há relação entre os dois crimes

Arsenal

Dentro da escola, a polícia encontrou um revólver 38, quatro jet luders, que são plástico para recarregamento de arma, uma besta (um tipo de arco e flecha que dispara na horizontal), um arco e flecha tradicional e garrafas que aparentam ser coquetéis molotov. Há ainda uma mala com fios. O esquadrão antibombas foi chamado, e a polícia ainda não informou se havia material explosivo no local.

Foto mostra corpo de um dos autores do massacre na escola Raul Brasil, de Suzano — Foto: Arquivo pessoal

Foto mostra corpo de um dos autores do massacre na escola Raul Brasil, de Suzano — Foto: Arquivo pessoal

Mala deixada dentro da escola onde o massacre ocorreu, em Suzano; polícia investiga se assassinos deixaram explosivos — Foto: Arquivo pessoal

Mala deixada dentro da escola onde o massacre ocorreu, em Suzano; polícia investiga se assassinos deixaram explosivos — Foto: Arquivo pessoal

Arco e flecha encontrado na escola em que o massacre ocorreu — Foto: Arquivo pessoal

Arco e flecha encontrado na escola em que o massacre ocorreu — Foto: Arquivo pessoal

Garrafas que aparentam ser coquetéis molotov deixadas dentro da escola em que o massacre ocorreu — Foto: Arquivo pessoal

Garrafas que aparentam ser coquetéis molotov deixadas dentro da escola em que o massacre ocorreu — Foto: Arquivo pessoal

Mais informações a qualquer momento

Fontes: G1 e Terra / Foto: Reprodução/TV Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *