Maio Amarelo mostrou que somos responsáveis por nossos atos no trânsito

A intenção do Movimento é sempre colocar em pauta a segurança viária e mobilizar a sociedade para discutir o tema

Em 11 de maio de 2011, a ONU decretou a Década de Ação para Segurança no Trânsito, com isso, o mês de maio se tornou a referência mundial para o balanço das ações que o mundo inteiro realiza. Assim, durante todo o período, organizações civis e governamentais, empresas e diversos setores da sociedade mostram como o trânsito pode ser mais seguro para todos.

No seu sexto ano aqui no Brasil, a campanha teve como tema “No trânsito, o sentido é a vida”. Uma das empresas engajadas no Movimento em prol de um trânsito mais seguro é a Perkons. “O nosso objetivo é ajudar na conscientização de que um trânsito mais humano e mais seguro depende de todos nós”, defende o especialista em trânsito e diretor da empresa, Luiz Gustavo Campos.

Acreditar e se engajar a iniciativas como o Maio Amarelo é essencial para esclarecer e chamar a atenção da sociedade para o alto número de vítimas de acidentes de trânsito. “A Perkons apoia o Movimento e as ações de educação no trânsito promovidas durante todo o ano. Essas iniciativas estimulam e convidam a todos para pensarem em suas próprias atitudes, e como elas podem mudar o cenário que temos atualmente”, destaca.

José Aurelio Ramalho, diretor-presidente do Observatório Nacional Segurança Viária e idealizador do Movimento Maio Amarelo, conta que “em 2014, o Observatório Nacional de Segurança Viária decidiu criar um único movimento com o intuito de unificar as ações de redução de mortes de trânsito e fortalecê-las durante um mês. Com isso, surgiu o Maio Amarelo no país, que é de grande relevância para a população mundial”.

Este ano Ramalho decidiu dedicar o Maio Amarelo às crianças e adolescentes vítimas destes acidentes, já que a cada a cada dia, quatro crianças perdem a vida no trânsito. Os materiais da campanha incentivaram os motoristas a escutarem as crianças. É que elas possuem uma percepção mais eficaz do que é certo e o que é errado. De acordo com o Observatório, os acidentes não acontecem, mas sim são frutos de escolhas inadequadas e arriscadas. Para Ramalho, 90% dos acidentes têm como motivação as falhas humanas como imperícia, imprudência e desatenção. “Somos os responsáveis pelos nossos atos no trânsito e ter consciência clara disso é um dos caminhos para a reversão do triste cenário não só do Brasil, mas de todo o mundo”, reforça.

A campanha “#ME OUÇA” foi baixada gratuitamente até a última semana de maio, mais de 20 mil vezes, o que levou o site do MAIO AMARELO somar mais de 420 mil acessos. Milhares de municípios, entidades e empresas registraram suas ações, enviando relatos e fotos da receptividade da campanha.

Para os próximos meses, diversas campanhas estão sendo pensadas pelo Observatório para ajudar a conscientizar sobre um trânsito mais seguro no Brasil, como os riscos de acidentes e como evitá-los, a importância de equipamentos de segurança para moto e motociclistas, a comunicação em trânsito, celular ao volante, os limites de velocidade como proteção, ultrapassagens seguras e como dirigir em condições adversas.

Fonte: Lide Multimídia / Foto: Eliando Figueira – RIC/PMS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *