Liberação de cassinos pode incentivar turismo no País

Autoridades públicas e privadas da área do turismo estiveram na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) na manhã desta sexta-feira (27) para discutir estratégias para alavancar o turismo no Brasil e em Minas Gerais. O evento foi promovido pela Câmara dos Deputados em comemoração do Dia Mundial do Turismo, comemorado nesta data (27).

O presidente da ALMG, deputado Agostinho Patrus (PV), esteve presente na abertura do evento e abordou o potencial do turismo em Minas Gerais. Nesse sentido, ele falou das estâncias hidrominerais, da gastronomia, da cultura e do patrimônio histórico do Estado – esse último, segundo ele, representa 60% de todo o patrimônio histórico nacional.

Falou, ainda, da boa infraestrutura do Aeroporto Tancredo Neves, em Confins, e destacou que a Casa Legislativa mineira será parceira do governo federal no incentivo ao setor.

Também o deputado Professor Irineu (PSL), presidente da Comissão Extraordinária de Turismo e Gastronomia da ALMG, ressaltou o apoio da ALMG ao setor. Ele enfatizou a riqueza da gastronomia mineira e o reconhecimento nacional e internacional dos sabores locais.

Lembrou, ainda, das cadeias produtivas envolvidas na produção gastronômica e em todas as atividades turísticas. O deputado também falou sobre o conjunto arquitetônico da Lagoa da Pampulha, o acervo de arte moderna do Museu do Inhotim e de outros grandes atrativos mineiros.

Quem abordou as dificuldades financeiras do Estado e as soluções atualmente em discussão para melhorar a economia turística de Minas Gerais foi o secretário de Cultura e Turismo, Marcelo Landi.

Ele também destacou o potencial do Estado e afirmou que o Poder Executivo tem atuado na busca de parcerias na iniciativa privada para resolver alguns dos gargalos do setor, como a necessidade de reformas nos mais de 400 museus mineiros e de melhorias de gestão em parques naturais. Algumas licitações para esses fins já estão, segundo ele, em andamento.

Congresso Nacional analisa projetos como liberação de jogos e isenção de impostos a turistas

O presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, Newton Cardoso Junior (MDB), abriu os trabalhos falando sobre a pauta prioritária para o setor no Congresso Nacional. Segundo ele, são três os principais projetos em discussão nas casas legislativas.

Um deles trata da legalização dos chamados “jogos de azar”, como cassinos, proibidos no Brasil há mais de 70 anos. O parlamentar ressaltou a importância desse passo para atrair turistas para o Brasil e arrecadar impostos.

O segundo projeto em debate citado por ele é o que isenta os turistas estrangeiros de pagamento de impostos sobre alguns dos produtos comprados localmente, em um modelo que já funciona em outros países, como a Argentina. Por fim, ele citou legislação que pretende criar “áreas especiais de interesse turístico”, nas quais licenças, alvarás e outros documentos serão facilitados para empreendedores da área do turismo.

Essas seriam estratégias para aumentar de 7 milhões para 12 milhões o número anual de turistas recebidos no País. Para Newton Cardoso Júnior, questões como infraestrutura são importantes, mas não as únicas que podem ajudar nessa meta.

No mesmo tom, o coordenador-geral de publicidade e propaganda do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Sílvio Nascimento, disse que o turismo é hoje prioridade do governo federal, mas que, na falta de recursos para investir, será necessário “criatividade” para aquecer o setor.

Dessa forma, ele citou o uso de embaixadores nacionais de turismo, como o jogador Ronaldinho Gaúcho, e uma campanha para incentivar brasileiros que moram no exterior a trazerem estrangeiros para o País.

Sílvio Nascimento também disse que um dos focos será na atração de turistas dos países do Cone Sul, em especial da Argentina. Em breve, segundo ele, uma ação vai iluminar de verde e amarelo a Casa Rosada, sede do governo argentino.

Serão, de acordo com o representante da Embratur, 30 rotas prioritárias no Brasil para serem promovidas no exterior, duas delas em Minas Gerais. Membros de setores como hotelaria e transporte, além de representantes de entidades como Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional (Iphan), estiveram presentes e discutiram, ao longo da manhã, caminhos para o setor.

Fonte: ALMG / Foto: Luiz Santana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *