Leilão de veículos do TJMG e Seplag-MG arrecada mais de R$ 660 mil

Ação visou readequação da frota e não teve custo para o TJMG

O leilão de automóveis realizado no último dia 3 em parceria do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) com a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão do Estado (Seplag-MG) arrecadou R$ 668.800. A iniciativa, aberta ao público, teve a finalidade de renovar a frota do TJMG de forma sustentável e econômica. O valor será reinvestido, reduzindo os custos com manutenção.

Foram vendidos 40 veículos dos anos 2005 a 2013. Os modelos eram, entre outros, Astras, Celtas, Corsas, Kombis, Palios Weekend e Fire, Doblòs, Prismas e Unos. Os lances iniciais foram superados em todos os lotes.

O menor valor pago foi de R$ 2,8 mil, por uma moto Honda NXR 150, avaliada em R$ 1000. A quantia mais alta, R$ 26,2 mil, foi proposta para uma Chevrolet Spin 2013 cujo preço foi estimado em R$12 mil.

Segundo Gleidson Ramanery Pereira, da Superintendência de Transportes, a medida já ocorreu em maio, com o mesmo objetivo, e repetiu o êxito da anterior. ?Essa estratégia evita que carros fiquem ociosos por não atenderem à necessidade presente do Tribunal?, esclarece.

O servidor considera que a realização foi muito bem-sucedida: ?Alcançamos uma venda de em torno de 71% da tabela FIPE, o que é excelente, tendo em vista que leilões particulares alcançam uma média de 65%.?

O leilão foi possível graças a um termo de cooperação técnica com o governo do estado. Toda a logística foi viabilizada por equipes do Judiciário e do Executivo, sem despesas adicionais.

Economicidade

Neste ano, nas duas edições, em maio e outubro, foram vendidos 117 veículos, que angariaram R$ 1.671.100. No ano passado, houve uma arrecadação de R$ 1. 778.000, correspondente a 167 veículos.

A Portaria 2.352/2009 regulamenta a questão do transporte no Judiciário mineiro e considera antieconômicos os carros que tenham sido submetidos a uso prolongado ou desgaste prematuro ou impliquem manutenção onerosa; e modelos tornados obsoletos diante do surgimento de avanços tecnológicos.

Fonte: TJMG / Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *