Faturamento bruto das lavouras cafeeiras reduz 24% nos últimos dez anos

O total do faturamento bruto de todas as lavouras brasileiras previsto para 2019 está estimado em R$ 398,64 bilhões. Nesse contexto, a receita bruta das lavouras dos Cafés do Brasil foi calculada em R$ 19,70 bilhões, valor que corresponde a 5% do total de todas as lavouras. Em uma década, o faturamento total das lavouras evoluiu de R$ 283,55 bilhões para R$ 398,64, o que representa um crescimento de 37%. Em contrapartida, o faturamento bruto dos Cafés do Brasil, nesse mesmo período em destaque, decresceu 24%, o qual passou de R$ 25,81 para R$ 19,70 bilhões.

Se for estabelecido um ranking dos cinco principais produtos em termos de receita bruta, em 2019, verifica-se que se destaca em primeiro lugar a soja, com R$ 127,63 bilhões, valor que corresponde a 32% do total. Em segundo, vem a cana-de-açúcar, com R$ 59,86 bilhões, receita que equivale a 15% desse mesmo faturamento. Na sequência, em terceiro, o milho, com R$ 57,70 (14%), em quarto, o algodão herbáceo, R$ 41,86 (11%). O café ocupa o quinto lugar, com R$ 19,70 bilhões, receita correspondente a 5% da arrecadação das lavouras.

Entretanto, em relação ao período de 2010 a 2016, vale destacar ainda que o café figurou em quarto lugar no citado ranking, à frente do algodão. Mas, desde 2017, o algodão suplantou o café, o qual passou a figurar em quinto lugar. Tais dados e números que permitiram realizar esta análise da performance do faturamento bruto dos Cafés do Brasil foram obtidos da edição de maio de 2019 do Valor Bruto da Produção – VBP, o qual é elaborado e divulgado mensalmente pela Secretaria de Política Agrícola – SPA, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – Mapa. Referido VBP está disponível na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.

Junho de 2019

Dados divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia, apontam que a exportação brasileira de café em grãos alcançou 2,801 milhões de sacas de 60 kg no mês de junho, um aumento de 29,8% quando comparado com o mesmo período no ano passado.

Quando comparada com maio deste ano, a exportação de café em junho apresenta diminuição de 14,14% em termos de volume, já que no mês anterior os embarques somaram 3,262 milhões de sacas.
Em termos de receita cambial, houve elevação de 2,45% do ano passado para este, de US$ 310,3 milhões registrados em junho de 2018 para US$ 317,9 milhões apresentados agora em junho de 2019. Em comparação com maio de 2019 (US$ 386,3 milhões), a receita cambial foi 17,71% menor.

No primeiro semestre de 2019, foram embarcadas 17,991 milhões de sacas, aumento de 42,4% em comparação com o mesmo período de 2018, quando foram embarcadas 12,634 milhões de sacas. A receita cambial no período cresceu 15,65%, de US$ 1,946 bilhão para US$ 2,250 bilhões.

Frio e geadas

Nota divulgada pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) prevê uma massa de ar frio na Região Sul do país, que teve início nesta quarta-feira (3), avançando para a região Sudeste e parte da Região Centro-Oeste. A passagem da frente fria pode provocar ampla formação de geadas nas regiões serranas das Regiões Sul e Sudeste, alerta o instituto.

Durante o fim de semana, o ar frio vai ocasionar possíveis geadas nas regiões produtoras de café, ou seja, no norte do Paraná, sul de Minas Gerais e na região de Franca em São Paulo.

O frio deverá se prolongar ao longo do fim de semana. Os modelos de previsão de tempo do Inmet indicam que as temperaturas poderão atingir valores abaixo de zero grau Celsius (até -6°C) nas áreas serranas da Região Sul, conforme ilustra a Figura 1 da nota.

O Inmet divulgará as previsões do ar frio, de acordo com as novas atualizações dos modelos numéricos de previsão de tempo, adianta o diretor Carlos Carvalho Gomes.

Geadas podem impactar diretamente as safras / Fernando Barbosa

Fonte: Dinheiro Rural / Foto: Reprodução Google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *