Escolas públicas recebem livro interativo sobre histórias e curiosidades do rio Paraná

Pelos caminhos do Rio Paraná tem conteúdo inovador e exclusivo sobre o segundo maior rio da América Latina

Mais de 50 escolas da rede pública de ensino receberam exemplares do livro “Pelos caminhos do Rio Paraná”, um livro-reportagem que traz também interatividade com o leitor e conteúdo exclusivo. Ao todo, mais de 1500 unidades foram disponibilizadas para os alunos que vivem e estudam nas regiões banhadas pelo segundo maior rio da América Latina.

O livro faz parte de um amplo projeto cultural, com foco educacional, que está sendo disponibilizado sem custo para escolas de várias cidades de Mato Grosso do Sul, Paraná, Minas Gerais e São Paulo. O livro ainda inclui guias de estudo específicos, um material complementar que está disponível em www.projetorioparana.com.br.

O livro interativo

A autora de Pelos caminhos do Rio Paraná, a jornalista Ana Carolina Amaral, reuniu informações e histórias sobre este que é o 8º maior rio do mundo em extensão. A maioria das fotos ficou por conta de Ricardo Martins e Danilo Fiuza, que registraram trechos do rio e captaram não só a sua beleza natural, mas também a rotina de populações ribeirinhas, a cultura local e a economia.

O livro vem acompanhado de conteúdos exclusivos que podem ser acessados a partir de QR Codes que direcionam o leitor a vídeos com histórias, entrevistas e curiosidades sobre o rio e sua bacia hidrográfica que abrigam atividades como pesca, mergulho, turismo, produção agrícola, geração de energia e muito mais. O trabalho de captação de imagens, pesquisas, elaboração de textos e montagem da publicação consumiu 10 meses.

A história do rio Paraná

Pelos caminhos do Rio Paraná mostra como era a vida dos  povos que habitavam as margens do rio, seus costumes, suas moradias e a interação para as águas abundantes.Pesquisadores encontraram, inclusive, materiais das culturas tupi-guarani, umbu e humaitá.

Ao longo dos seus 4880 km de extensão, o rio fez parte da vida de muitas comunidades indígenas. A partir do século 16 vieram os conquistadores portugueses e espanhóis, em busca de metais preciosos e outros produtos.

Potencial energético e econômico

Por onde passam, as águas do rio Paraná movimentam a economia. Além da produção de energia elétrica, destacam-se, a pesca, a piscicultura, a criação de gado, o cultivo de cana-de-açúcar e milho, a indústria da madeira e a produção de celulose.

Uma das primeiras personalidades nacionais que previram o potencial energético do rio Paraná foi Euclides da Cunha, ainda na primeira década de 1900. Atualmente, o rio Paraná possui cinco grandes hidrelétricas em seu percurso, sendo quatro no Brasil (Ilha Solteira e Jupiá, operadas pela CTG Brasil, Porto Primavera e Itaipu) e uma na Argentina (Yacyretá).

O rio também colaborou com o desenvolvimento das regiões em seu entorno. A construção das usinas  Ilha Solteira e Jupiá, por exemplo, foi grande propulsora do crescimento local.

Projeto educacional

Uma série de encontros presenciais de facilitadores da Horizonte Educação e Comunicação foi realizada com professores de escolas públicas com o objetivo de discutir os aspectos mais importantes para se estudar sobre o rio Paraná. Essas oficinas ocorreram nas cidades próximas do trecho paulista e sul-mato-grossense do rio.

O site do projeto (www.projetorioparana.com.br) fornece também, aos educadores e interessados, uma série de atividades pedagógicas para desenvolver de forma dinâmica a leitura do projeto. São propostas de questionamentos, discussões e reflexões sobre os conteúdos, pensados por especialistas para enriquecer o uso do livro na sala de aula.

Pelos caminhos do Rio Paraná é patrocinado pela CTG Brasil, realizado pela Horizonte Educação e Comunicação e viabilizado por meio da Lei de Federal de Incentivo à Cultura.

Sobre a autora

Ana Carolina Amaral é repórter de meio ambiente no jornal Folha de S. Paulo, onde assina o blog Ambiência, e ocupa a secretaria-executiva da Rede Brasileira de Jornalismo Ambiental.

Jornalista formada pela Unesp e mestre em Ciências Holísticas pelo Schumacher College, desenvolveu uma proposta de jornalismo holístico para incluir o contexto ambiental na interpretação dos acontecimentos. Desde 2012 cobre conferências da ONU como a Rio+20, as negociações do Acordo de Paris e, recentemente, a Cúpula do Clima de Nova York.

Atua com questões ambientais e de sustentabilidade desde 2001 –na criação de projetos, livros educativos, assessoria de comunicação, consultoria, facilitação de diálogos e criação de roteiros e formatos audiovisuais. Escreveu “Protegendo o meio ambiente” (editora Hedra) e assina um capítulo do livro “Cidades e Soluções”, de André Trigueiro (editora Leya).

Sobre a CTG Brasil

Criada em 2013, a CTG Brasil é uma empresa da China Three Gorges Corporation, líder global em energia limpa. Com investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, o portfólio da empresa hoje tem uma capacidade total instalada de 8,28 GW.  A empresa conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com a matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente.

Sobre a Horizonte

Desde 1984, a Horizonte Educação e Comunicação é especializada em desenvolver projetos editoriais, culturais e educacionais para seus clientes. Sua especialidade está em temas de responsabilidade social, sustentabilidade e patrimônio histórico e cultural. O objetivo final de seus trabalhos é consolidar a imagem de empresas socialmente responsáveis e ambientalmente sustentáveis.

Fonte: Assessoria de Imprensa / Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *