Curiosidades da Mega: bolas são da França; bilhete premiado vira dossiê

O 1.775º sorteio da Mega-Sena acontece nesta quinta-feira (31), e o prêmio é alto: R$ 280 milhões. Você sabia que as bolas usadas no sorteio são feitas na França e passam por inspeção a cada dois meses? E que bilhete premiados são obrigatoriamente entregues à Caixa e enviados a um arquivo, onde ficam por dez anos?

O G1 levantou algumas curiosidades a respeito da loteria. É mais fácil, por exemplo, ser atingido pela peça de um avião caindo do que acertar as seis dezenas. Além disso, não é necessário abrir conta no banco para receber o grande prêmio.

Veja curiosidades

– O papel para impressão dos bilhetes é térmico de alta sensibilidade. Ele tem uma camada especial, na cor branca, que impede a degeneração da imagem impressa e preserva os dados impressos por no mínimo cinco anos. É preciso, porém, tomar alguns cuidados: evitar exposição do papel à luz do sol, lâmpadas fluorescentes, fontes de calor, umidade excessiva e óleo ou outros produtos químicos;

– O prêmio só é pago à pessoa que tiver o nome completo e CPF anotados no verso do bilhete premiado. Se o ganhador não puder fazer a retirada, ele poderá nomear um procurador. Caso o apostador morra, é necessário que herdeiros tenham um alvará judicial autorizando o saque;

– Prêmios de até R$ 1.903,98 — inferiores ao limite de isenção do Imposto de Renda — podem ser retirados em lotéricas;

– A validação de bilhetes premiados ocorre em três etapas: inclusão dos dados da aposta e do ganhador em um sistema, por um servidor da Caixa habilitado para isso; autorização de um gerente; e “conformidade prévia”, quando um departamento recebe o dossiê de pagamento, verifica a documentação e o registro das informações e então registra no sistema a autorização para pagamento;

– Prêmios inferiores a R$ 10 mil são pagos no mesmo dia. Prêmios maiores podem levar dois dias a mais para serem pagos;

– O ganhador pode receber o dinheiro em forma de crédito em conta, cheque administrativo, transferência eletrônica ou em espécie;

– Depois que o ganhador recebe o prêmio, o bilhete é recolhido pela Caixa. Ou seja: o apostador não pode guardá-lo para coleção ou lembrança;

– Os bilhetes premiados são guardados em um arquivo, junto com as cópias da documentação do ganhador. Eles ficam disponíveis para consulta por dez anos. Após o prazo, o dossiê é descartado pela Caixa;

– As bolas da Mega-Sena são feitas na França e passam por avaliação bimestral do Inmetro;

– As chances de acertar as seis dezenas são de 1 em 50 milhões. É mais fácil ser canonizado (probabilidade de 1 em 20 milhões) ou ser atingido pela peça desprendida de um avião em voo — 1 em 10 milhões.

– O prêmio da Mega da Virada não acumula. Se ninguém acertar os seis números, ele é dividido entre os que acertam cinco e assim sucessivamente.

– A Mega-Sena foi lançada em 11 de março de 1996, em substituição à Sena. São dois sorteios semanais desde então.

mega-sena_caio_kenji_g1_8
Cartelas de jogo da Mega-Sena (Foto: Caio Kenji/G1).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *