Corpo de menina de 5 anos é identificado em Mariana; mortes chegam a 4

emanuele-vitoria-fernandes-5-1447028355163_300x420A Prefeitura de Mariana, confirmou no início da tarde desta terça-feira (10) a identificação do corpo da quarta vítima do rompimento das barragens de Fundão e Santarém, da mineradora Samarco. Trata-se de Emanuele Vitória Fernandes, 5. A morte da menina é a primeira confirmada de moradores do subdistrito de Bento Rodrigues, onde aconteceu o desastre.

O corpo foi achado em Ponte do Gama, subdistrito de Ponte Nova, município que fica a 70 km de Mariana.

A menina se soltou da mão do pai quando a família tentava escapar do mar de lama. “O pai estava tentando resgatar ela e o menininho (irmão de Emanuele), mas ela escapuliu. Assim mesmo tentamos entrar na lama, mas não a alcançamos. Ela sumiu, depois apareceu mais uma vez e depois afundou de novo. Ainda consegui ouvir dois gritos dela”, relatou o vigia Francisco Izabel, 65, avô da menina.

Ele foi o responsável pelo reconhecimento do corpo. “Reconheci pelos dedinhos da mão, que eram tortinhos, e pelos dentes”, explicou. “Era uma menina sadia, doce, alegre, uma boneca. A gente vê essa coisa, que é uma irresponsabilidade do Meio Ambiente, um órgão que tinha como cuidar das coisas, como olhar isso, e da Samarco, que com ganância pelo dinheiro fez o que fez. Tem horas que vejo o grito dela. É muito difícil”.

A mãe da criança, grávida, passou a manhã debruçada sobre o pequeno caixão branco da menina. O pai da menina está internado desde o acidente e deve passar por cirurgia, segundo familiares.

As outras três mortes confirmadas são de funcionários da Samarco ou de empresas contratadas pela mineradora. Outros dois corpos foram localizados, mas ainda aguardam identificação. Não se sabe, portanto, se estes dois são ou não de vítimas do rompimento das barragens.

Desaparecida é localizada

Uma das pessoas que eram consideradas desaparecidas foi encontrada viva hoje em Santa Bárbara (MG). Maria Aparecida Vieira, 65, estava na casa de parentes.

De acordo com a prefeitura, 22 pessoas permanecem desaparecidas, sendo onze trabalhadores das barragens e onze moradores.

O número de desabrigados chega a 631. Eles estão hospedados em hotéis e pousadas da região.

Tremor

O Centro de Sismologia da USP (Universidade de São Paulo) registrou um pequeno abalo sísmico, de 2,1 graus de magnitude, na região de Ouro Preto na manhã de hoje. O tremor foi percebido em Mariana, mas não mexeu na estrutura das barragens nem alterou a rotina de trabalho das equipes de busca.

A Prefeitura de Mariana informou que a Samarco está instalando hoje três sismógrafos em pontos estratégicos das barragens.

Buscas

O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil fazem buscas para encontrar outras vítimas do desastre. Eles contam com equipes especializadas e o apoio de cães. Equipes de bombeiros do Espírito Santo e de Santa Catarina também reforçam o trabalho de resgate.

Uma equipe da Polícia Ambiental de Minas Gerais deve sobrevoar a área na tarde desta terça para avaliar os danos ambientais causados pelo rompimento das barragens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *