Consultas em cidades atendidas pelo Mais Médicos crescem 33% em dois anos, anuncia governo

314c4j890r_7czyf33kf8_fileO governo federal anunciou nesta terça-feira (4), em cerimônia no Palácio do Planalto, o aumento em 33% no número de consultas em postos de saúde e hospitais localizados em cidades beneficiadas pelo programa Mais Médicos. O programa completa dois anos e atinge, atualmente, aproximadamente 63 milhões de brasileiros. São 18 mil profissionais distribuídos em 4.000 municípios.

O atendimento em cidades onde o programa não foi implementado também cresceu em dois anos, porém, em menor intensidade. O índice de crescimento do número de consultas nelas foi de 15%.

O número de internados em hospitais em cidades do Mais Médicos diminuiu 4% entre dezembro de 2013 e o mesmo mês em 2014. Onde a cobertura do programa supera 1/3 da população do município, as internações tiveram redução de 9%.

 

O governo também anunciou a criação de novas 3.000 bolsas de residência médica e a contratação de 880 professores de medicina. Das novas bolsas, 75% são para ampliar a formação de médicos especializados em Medicina da família.

A prioridade também será oferecer as novas oportunidades para médicos residentes nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste a fim de atenuar o saldo negativo de profissionais nos municípios distantes dos grandes centros.

De acordo com o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, outras vagas garantirão em pouco tempo ao País chegar ao índice de 1,32 vaga em medicina a cada 10 mil habitantes. Apenas alguns Estados demandarão ações para que a meta de 1,34 a cada dez mil habitantes em cada Estado da Federação seja atingida.

A cerimônia contou com a presença de 300 médicos integrantes do programa como os cubanos Kátia Rojas e Edie Valdívia de 35 e 46 anos, respectivamente. Os dois, que são clínicos gerais e atendem a pacientes com doenças crônicas no sertão da Bahia, voltam a trabalhar nesta semana após 30 dias de férias em seu país natal. O contrato deles, de três anos, deverá ser prorrogado, se depender da vontade dos médicos.

Kátia Rojas resumiu a percepção dos médicos cubanos em atividade no Brasil.

— Estamos muito felizes no Brasil e com o nosso trabalho. Atendemos 40 pacientes por dia e notamos que a Saúde melhorou muito na região que tem aproximadamente 4.000 habitantes.

O programa também foi elogiado pelo prefeito de Aparecida de Goiás (GO), Maguito Vilella. Para ele, a presidente Dilma teve a coragem cívica e moral de implementar o Mais Médicos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *