Acusado de tortura, general Mourão diz que vai processar Haddad

general Hamilton Mourão, vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), criticou o candidato Fernando Haddad (PT) após ele o ter chamado de torturador. Mourão afirmou que vai processar o petista.

“O cara solta uma mentira num lugar e o Haddad compra. Como é que você pode ser presidente do Brasil uma pessoa que não distingue o verdadeiro do falso?”, disse.

Por telefone, Mourão respondeu à Folha sobre declaração feita pelo candidato do PT na manhã desta terça-feira (23).

Em sabatina do jornal O Globo, Valor Econômico e revista Época, o presidenciável disse que o general foi um torturador na época da ditadura militar brasileira, que vigorou de 1964 a 1989.

Haddad se referiu ao relato feito no sábado (20) pelo cantor Geraldo Azevedo, que disse em show na Bahia que foi preso e torturado durante o regime militar. Azevedo afirmou que Mourão era um dos torturadores do local onde ele ficou encarcerado por 41 dias.

O argumento é de que o cantor pernambucano foi preso em 1969 e o hoje general da reserva Mourão só ingressou no Exército em 1972.

“O Haddad não consegue distinguir o que é verdadeiro do que é falso. É só olhar a minha idade e ver que em 1969 eu tinha 16 anos de idade. Eu era interno no colégio militar em Porto Alegre”, contestou Mourão.

O vice de Bolsonaro prometeu ainda processar tanto o candidato do PT quanto o cantor.”Vou tomar medida sim, vou enfiar processo nesses caras todos. Eu tenho filho e tenho neto. Os caras têm que pensar duas vezes antes de falarem bobagem.”

Fonte: Reuters / Bruno Kelly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *